Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Histórico
Início do conteúdo da página

Histórico do Batalhão

Publicado: Quinta, 13 de Agosto de 2015, 02h18 | Última atualização em Quinta, 06 de Janeiro de 2022, 13h03 | Acessos: 12178

                  O 14º Batalhão de Infantaria Motorizado – Regimento Guararapes – situado em Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco, simboliza para o Exército Brasileiro, antes de tudo, as origens da própria Nacionalidade. Ainda não era Nação independente, quando, por forte sentimento nativista, o povo brasileiro deu o seu primeiro grito de liberdade, expulsando o estrangeiro invasor. Tudo teve início aqui nestas plagas nordestinas, ao se fundirem as três raças formadoras da Nacionalidade Brasileira, em união de culturas antagônicas, retratando com a epopeia de Guararapes o surgimento a um só tempo do Exército e da própria Nação Brasileira.

No começo do século passado, nas terras pertencentes onde hoje se localiza o 14º Batalhão de Infantaria Motorizado, existia uma Escola de Agronomia, que havia sucedido à antiga Escola Média de Agricultura, e funcionou até 1920. Entre 1920 e 1921, começou a funcionar, onde hoje fica o Pavilhão de Comando da Unidade, o Patronato Agrícola Barão de Lucena, espécie de abrigo de menores, órfãos e abandonados. Este Patronato era dirigido pelo Médico Diniz Passos e funcionou por cerca de 10 anos.

Em dezembro de 1933, iniciaram-se os trabalhos de construção do Batalhão e, em 1934, o General Manoel Rabelo, Comandante da 7ª Região Militar/7ª Divisão de Exército, inaugurou neste local o 29º Batalhão de Caçadores (29º BC). Em 1935, foi inaugurada, por sua vez, a Vila Militar Floriano Peixoto.

O 29º Batalhão de Caçadores teve seu batismo de fogo ao combater os focos do Levante Comunista de 1935 que irromperam no Recife, no dia 25 de novembro de 1935. Os capitães Everaldo de Barros e Vasconcelos e Frederico Mindelo Carneiro Monteiro destacaram-se nessa resistência heroica. Contudo, o 1º Tenente Lauro Leão Santa Rosa e o Cabo João de Deus Araújo vieram a falecer no cumprimento do dever.

Nos anos seguintes, o 29º BC teve sua denominação substituída várias vezes, como: 30º Batalhão de Caçadores (30º BC), em 1935; e 21º Batalhão de Caçadores (21º BC), em 1940.

Sua mais tradicional denominação, porém, viria em 1941, quando foi criado o 14º Regimento de Infantaria (14º RI), após receber os Oficiais, Praças, armamentos, animais e materiais pertencentes ao 6º Batalhão de Caçadores, com sede em Ipameri-GO e do 21º BC aqui aquartelado.

 O 14º Regimento de Infantaria foi criado e organizado com: Estado Maior, dois Batalhões, sendo o 1º Batalhão composto por duas companhias (1ª e 2ª) e o 2º Batalhão composto por duas companhias (3ª e 4ª), um Pelotão Extranumerário e uma Companhia de Metralhadora Mista.

 A trajetória do 14º Regimento de Infantaria foi notável, destacando-se nos seguintes eventos:

  1. Esteve presente fora da sede, cumprindo missões de manutenção da ordem, em várias oportunidades;
  2. Recebeu a denominação histórica de Regimento Guararapes, por sua localização nas proximidades dos Montes Guararapes, onde alcançou, no passado, decisivas vitórias sobre o estrangeiro invasor (holandeses), por meio do Decreto Nº 28.319, de 29 de junho de 1950;
  3. Recebeu seu Estandarte Histórico, por meio do Decreto Nº 28.320, de 29 de junho de 1950. Seu exuberante escudo contém, em campo de ouro, o impávido Leão do Norte, revestido de cores que exaltam a integração das três raças formadoras, e as duas estrelas de sangue heroico derramado nas duas vitoriosas Batalhas de Guararapes. O Estandarte Histórico foi ofertado pelo povo e governo de Pernambuco em solene cerimônia no dia 25 de agosto de 1950, no Parque 13 de Maio, na cidade do Recife, sendo a mais alta autoridade presente o Sr General Brasiliano Americano Freire, Comandante da 7ª Região Militar;
  4. No ano de 1953, a paróquia da Vila Militar Floriano Peixoto foi solenemente instalada pelo Arcebispo de Olinda e Recife, Dom Antônio de Almeida Morais Junior;
  5. Como integrante do IV Exército, se irmanou com as demais OM daquele Grande Comando, no patriótico movimento iniciado a 31 de março de 1964, numa demonstração ao povo brasileiro, em defesa da restauração da autoridade e da democracia;
  6. Em 1º de julho de 1964, o estandarte do Regimento foi condecorado com a medalha pernambucana do mérito; e
  7. Em 21 de agosto 1964, participou da Força de Paz em Suez, no Egito, quando fez parte do 15º Contingente.

A partir de janeiro de 1974, o Sr Gen Ex Orlando Geisel, então Ministro do Exército, resolveu desativar o 14º Regimento de Infantaria, passando a existir o atual 14º Batalhão de Infantaria Motorizado, que, por herdar todas as tradições do velho Regimento, adotou o dia de sua instalação, 1º de julho, como a data comemorativa do seu aniversário.

Assim, seguimos o exemplo deixado pelos heróis do passado, através do espírito imortal de Guararapes, de cujo legado o nosso Batalhão será o eterno Guardião e cuja “chama sagrada ardentemente, acesa será eternamente.”

 Ao longo dos anos, o 14º Batalhão de Infantaria Motorizado, subordinado à 10ª Brigada de Infantaria Motorizada – Brigada Francisco Barreto de Menezes, tem se destacado no âmbito do Comando Militar do Nordeste como uma Unidade de Infantaria, em permanente estado de prontidão, fazendo valer o lema do Exército “Braço Forte - Mão Amiga”.

No campo do emprego operacional, em anos mais recentes, a tropa do Regimento Guararapes integrou as seguintes missões de paz: contingentes do Batalhão Suez, na Força de Emergência das Nações Unidas, nas décadas de 1950 e 60, no Egito; em 1995, no 1º contingente de Força de Paz em Angola; e nas décadas de 2000 e 2010, fez parte de 6 (seis) contingentes de Força de Paz no Haiti, demonstrando o seu alto nível de adestramento e capacidade operacional em missões de manutenção da paz.

Ainda no campo operacional, em missões de Garantia da Lei e da Ordem, recentemente, a tropa do 14º BI Mtz participou das Operações Hileia Pátria, Ilhéus, Salvador I e II, em 2013; Copa das Confederações e Copa do Mundo, em 2013 e 2014; Garantia de Votação e Apuração em 2012, 2014 e 2016; Garantia da Lei e da Ordem, no Rio Grande do Norte, com a Operação Potiguar I, II, em 2016; e Garantia da Lei e da Ordem, em Pernambuco, com a Operação Leão do Norte em 2016.

No campo das ações cívicas, destaca-se: a participação do Batalhão na Operação Carro Pipa, ajudando a levar água potável aos municípios do sertão pernambucano, desolados com a seca nordestina; ajuda às vítimas de calamidades públicas, apoiando a defesa civil; e desinfecção de instalações públicas, no contexto do combate à pandemia da COVID-19, estendendo sempre a sua mão amiga.

Assim, o 14º Batalhão de Infantaria Motorizado segue cumprindo a sua missão de formar soldados altamente capacitados - física, moral e espiritualmente, caracterizando-se pelo elevado grau de disciplina, profissionalismo, espírito de corpo, lealdade e amor Pátria - valores que estão arraigados na alma do soldado do Exército Brasileiro, em particular, do glorioso “Catorzão”.

Em síntese, o 14º Batalhão de Infantaria Motorizado segue o legado de suas tradições, mantendo acesa a chama dos heróis de Guararapes, pois “AQUI SE APRENDE A DEFENDER A PÁTRIA"! Nesse contexto, com muito orgulho e muita vibração, aqui se brada em alto tom: “GUARARAPES! BRASIL! TODA MISSÃO SERÁ CUMPRIDA!

registrado em:
Fim do conteúdo da página